EUA entram em alerta contra reação de lobos solitários

Equipes de segurança estão em alerta perante possibilidade de que "lobos solitários" reajam com atentados ao início dos bombardeios na Síria

Washington – Os corpos de segurança dos Estados Unidos estão em alerta perante a possibilidade que “lobos solitários” reajam com atentados perante o início dos bombardeios contra o Estado Islâmico (EI) na Síria.

“Achamos que esses ataques poderiam contribuir para que os extremistas que vivem no país, perante uma intervenção militar americana em terras predominantemente muçulmanas, decidam realizar um ataque em solo nacional”, afirma uma circular do FBI (polícia federal americana) e do Departamento de Segurança Nacional.

O texto, divulgado por meios de comunicação locais, foi enviado na terça-feira à noite a todos os corpos de segurança do país para que aumentem a vigilância com o objetivo de abortar qualquer trama terrorista na nação.

O alerta chega após o início nesta segunda-feira dos bombardeios dos EUA na Síria contra posições do EI e também do grupo Khorasan, uma célula de veteranos da Al Qaeda pouco conhecida até agora e que, segundo o Pentágono, preparava um ataque “iminente” contra interesses ocidentais.

O Departamento de Defesa disse na terça-feira que o grupo estava “perto da fase de execução” de um atentado nos Estados Unidos ou na Europa.

No entanto, na circular enviada pelo FBI se explica que os bombardeios na Síria “talvez tenham interrompido temporariamente qualquer plano de ataque contra os Estados Unidos ou interesses ocidentais” tanto do Khorasan como do EI.

Para as autoridades americanas, a maior ameaça não é que células do EI ou de Khorasan possam deslocar-se para atacar nos Estados Unidos, mas a capacidade dos jihadistas para inspirar a atuação de “lobos solitários” na nação.

Há um mês, o FBI e o Departamento de Segurança Nacional enviaram uma circular similar para permanecer alerta perante possíveis ataques em represália pela ofensiva contra o EI que os EUA mantêm no Iraque desde o dia 8 de agosto.

No dia 18 de setembro, Nova York e Las Vegas reforçaram a segurança em seus principais pontos turísticos depois que o EI fez uma convocação em foros de internet aos “lobos solitários” dos EUA para que atentem nessas cidades com artefatos caseiros.

O recrutamento de cidadãos ocidentais para lutar junto ao EI é uma das maiores preocupações dos governos dos EUA e da Europa por tratar-se de indivíduos com liberdade de movimentos e que, portanto, poderiam realizar atentados em solo americano ou europeu.