EUA convoca Israel para reconstrução de Gaza

"Acreditamos que Israel precisará desempenhar um papel na reconstrução de Gaza", disse a porta-voz do Departamento de Estado americano Jennifer Psaki

Israel deve participar da reconstrução da Faixa de Gaza, declarou o governo americano nesta quarta-feira, antes do início da reunião entre os principais doadores no próximo domingo, no Cairo.

Esses doadores também pressionam as partes envolvidas no conflito para que cheguem a um cessar-fogo definitivo.

“Acreditamos que Israel precisará desempenhar um papel na reconstrução de Gaza”, disse a porta-voz do Departamento de Estado americano Jennifer Psaki, ao ser questionada sobre o envolvimento de Israel no reparo dos danos causados pelo conflito nessa região.

O secretário de Estado americano, John Kerry, participará no próximo domingo, 12 de outubro, da conferência sobre a reconstrução.

O encontro acontece no Cairo, promovido por Egito e Noruega.

A cúpula é considerada pelos Estados Unidos “uma grande assistência humanitária e um esforço de reconstrução”, depois da devastadora guerra de 50 dias entre Israel e militantes do Hamas em Gaza.

O governo palestino apresentou um plano de 76 páginas para a reconstrução de Gaza.

Nele, pede-se cerca de US$ 4 bilhões para recuperar o território devastado.

A maioria dos recursos será usada para construir casas para os mais de 100 mil palestinos que perderam seus lares.

A ofensiva das tropas israelenses em Gaza deixou 2.200 palestinos mortos, enquanto os ataques dos militantes dos Hamas mataram 73 israelenses, a maior parte militares.

A guerra terminou em agosto com um cessar-fogo provisório, e as negociações indiretas para uma trégua permanente seguem com mediação do Egito.

Os Estados Unidos destinaram pelo menos US$ 118 milhões em ajuda aos palestinos de Gaza.

A porta-voz do departamento de Estado acredita que vários “países da comunidade internacional contribuirão” com recursos durante a conferência na capital egípcia.