EUA bombardeiam distrito afegão cercado pelos talibãs

O exército e a polícia afegãos estão encurralados neste distrito da província de Helmand pelos insurgentes, fortalecidos por suas recentes vitórias

A aviação dos Estados Unidos bombardeou o distrito de Sangin, para apoiar o exército afegão, que está cercado pelos insurgentes talibãs nesta área do sul do Afeganistão, conhecida pelo cultivo da papoula, utilizada na produção de ópio.

O exército e a polícia afegãos estão encurralados neste distrito da província de Helmand pelos insurgentes, fortalecidos por suas recentes vitórias.

A ofensiva iniciada há dois meses permitiu que os talibãs invadissem e controlassem, por três dias em setembro, a cidade de Kunduz (norte).

Para evitar justamente que o exército afegão, sozinho no campo de batalha, sofresse outro revés, aviação americana executou dois ataques aéreos na quarta-feira, informou o coronel Michael Lawhorn, porta-voz da missão da Otan no Afeganistão.

O militar não especificou os alvos. Ele se limitou a afirmar que representavam una “ameaça” para as tropas americanas.

As forças afegãs iniciaram nesta quinta-feira uma operação para tentar recuperar Sangin, que os talibãs afirmam controlar em sua totalidade, uma informação desmentida pelo governo de Cabul.

“Unidades do exército afegão e forças policiais iniciaram uma operação em Sangin, para tentar ajudar os soldados e policiais cercados na capital do distrito”, anunciou Sediq Sediqi, porta-voz do ministério do Interior.

“Nossas forças avançam em Sangin, mas os combates continuam”, afirma Omar Zwak, porta-voz do governo provincial.

As tropas afegãs estão extenuadas com os combates.

“Nossos homens têm fome e sede”, disse Abdul Wahab, comandante da polícia.

“No momento, temos a situação sob controle, mas precisamos de reforços porque nossas forças não dormem há duas semanas”, afirmou à AFP Masum Khan, oficial do exército.

O distrito de Sangin, onde se cultiva a papoula, da qual se extrai o ópio, é um reduto histórico dos insurgentes talibãs. Sua população fugiu em grande parte para Lashkar Gah, a capital provincial.

O Reino Unido enviou um pequeno contingente de 90 militares para Helmand, onde já estão posicionadas forças americanas, um sinal do nervosismo dos aliados ocidentais de Cabul.

Londres insiste que seus soldados não estão no local para lutar contra os insurgentes, apenas para “assessorar” as tropas afegãs, como estipula a nova missão da Otan no país.

Helmand, em particular Sangin, concentra boa parte da produção de ópio, uma fonte de financiamento da insurgência.

O distrito também tem um peso simbólico para americanos e britânicos, que lutaram arduamente para mantê-lo sob controle das forças do governo durante a missão de combate da Otan no país, concluída há um ano.

A situação no Afeganistão permanece instável. A tentativa de diálogo entre o presidente Ashraf Ghani e o governo do Paquistão, país apontado como um apoio dos talibãs, está paralisada.

Texto atualizado às 11h54.