EUA autorizam abate de drones que sobrevoam suas bases militares

A medida é em resposta ao aumento do uso desse tipo de equipamento, o que aumentou a preocupação das autoridades sobre a segurança das instalações militares

Washington – Novas diretrizes tornadas públicas nesta segunda-feira pelo Departamento de Defesa mostram que o Pentágono ganhou permissão para derrubar drones não autorizados que sobrevoem ou se aproximem de bases militares nos Estados Unidos.

“Proteger nossas tropas segue sendo uma prioridade. Por isso, o Departamento de Defesa criou as políticas específicas, desenvolvidas com a Administração Federal de Aviação (FAA) e parceiros de outras agências intergovernamentais, que detalham como podemos enfrentar a ameaça de aparelhos aéreos não tripulados”, disse o porta-voz do Pentágono, Jeff Davis, em nota que informa sobre a nova diretriz.

A medida, segundo Davis, é uma resposta ao aumento do uso desse tipo de equipamento, o que aumentou a preocupação das autoridades sobre a segurança nas instalações militares no país.

As diretrizes afetam 133 bases em território americano e serão aplicadas tanto para drones comerciais como para particulares.

Como consequência da nova norma, destacou Davis, os militares poderão “rastrear, neutralizar e confiscar drones errantes”.

“Sempre tivemos o direito de defesa própria, mas acredito que, deste modo, consolidamos um pouco mais o que podemos fazer. Isso foi totalmente coordenado com a FAA”, explicou.

Desde abril, é ilegal comandar drones que voem a menos de 120 metros das bases militares.

Segundo dados da FAA, a frota comercial desse tipo de equipamento passará de apenas 42 mil em 2016 para 442 mil em 2021. No mesmo período, a quantidade de drones privados subirá de 1,1 milhão para 3,5 milhões daqui quatro anos.