EUA advertem para incursão liderada pela Rússia na Ucrânia

Kiev acusou a Rússia de enviar colunas de blindados e armamentos para cidades no sudeste da Ucrânia

Os Estados Unidos advertiram nesta quarta-feira para aparentes incursões de unidades militares russas na Ucrânia que indicariam uma contraofensiva organizada por Moscou nos territórios separatistas.

Kiev acusou a Rússia de enviar colunas de blindados e armamentos para cidades no sudeste da Ucrânia.

“Essas incursões indicam que, provavelmente, está em andamento uma contraofensiva dirigida pela Rússia em Donetsk e em Lugansk”, disse à imprensa a porta-voz do Departamento de Estado, Jen Psaki.

“Claramente, esta é uma grande preocupação para nós”.

Psaki também disse que Washington notou uma “falta de vontade da Rússia em dizer a verdade, inclusive quando seus soldados são vistos 48 quilômetros dentro da Ucrânia”.

Ela também citou informações de soldados feridos no hospital de São Petersburgo e disse que a Rússia está “enviando seus jovens à Ucrânia, mas não está dizendo para onde estão indo ou dizendo a seus pais o que estão fazendo”.

A Rússia nega qualquer vínculo direto com os rebeldes, mas se nega a pedir um cessar-fogo ou o seu desarmamento.

Psaki disse que Washington tem a sua disposição os meios para pressionar Moscou, incluindo uma intensificação das sanções econômicas contra a Rússia.

A porta-voz acrescentou que o presidente Barack Obama e o secretário de Estado, John Kerry, analisarão os próximos passos contra a Rússia durante uma cúpula no dia 4 de setembro em Gales.