Estudo mostra que poluição afeta qualidade de sono

Dados são de um estudo da Escola de Saúde Pública de Harvard, nos Estados Unidos

São Paulo – No inverno a população fica mais vulnerável às doenças respiratórias e o sono durante esse período é muito prejudicado. É preciso ficar atento, pois de acordo com o estudo realizado pela Escola de Saúde Pública de Harvard, EUA – Associations of PM10 with Sleep and Sleep-disordered Breathing in Adults from Seven U.S. Urban Areas – a qualidade do sono também pode ser afetada por causa da poluição.

Para algumas pessoas as doenças respiratórias são tão comuns que nem causam mais preocupação, entretanto o G1 divulgou uma reportagem que de acordo com este estudo o sono pode ser muito prejudicado com o aumento da poluição se a pessoa tiver apneia, um distúrbio que suspende a respiração por alguns segundos durante o sono.

A apneia e a poluição juntas aumentam o risco de doenças cardiovasculares como derrame e infarto. Ainda segundo a reportagem, há um aparelho especial que pressiona o ar nas vias aéreas e ajuda a dormir, pois normaliza a respiração. Ele evita que a poeira fina chegue aos pulmões, só é preciso trocar os filtros do aparelho.

Normalmente, a poluição já interfere o sono, mesmo para quem não sofre nenhum tipo de distúrbio. Os poluentes, quando inalados, costumam acarretar inflamação das vias respiratórias. Por isso, a pneumologista do Centro do Sono do HCor, Flávia Nunes, recomenda deixar o ar circular no quarto, antes de dormir. Segundo ela, manter os ambientes ventilados diminui o risco de transmissão e propagação de doenças infecciosas e respiratórias além de facilitar a manutenção de um ar de melhor qualidade.

O estudo de Harvard foi o primeiro a relacionar apneia à poluição. Nele foram avaliados três mil pacientes voluntários, com mais de 39 anos, com exames de monitoração de sono. Os pesquisadores chegaram à conclusão que a poluição do ar está associada a um risco maior de apneia e riscos cardíacos. Com informações do G1.