Estudantes chilenos protestam por acesso às universidades

No final do protesto, alguns manifestantes lançaram objetos contra a polícia, que dispersou os agressores com bombas de gás lacrimogêneo

Ao menos dois mil estudantes de colégios públicos protestaram nesta quarta-feira, no centro de Santiago, para exigir mudanças no sistema de notas para o ingresso nas universidades.

Vestidos com seus uniformes, os estudantes caminharam pacificamente pela Avenida Alameda, passando diante do Palácio de La Moneda e do Ministério da Educação, sob forte vigilância policial, constatou a AFP.

No final do protesto, alguns manifestantes lançaram objetos contra a polícia, que dispersou os agressores com bombas de gás lacrimogêneo.

Os estudantes exigem o fim do sistema conhecido como “ranking de notas”, que considera a média das notas obtidas durante o ensino médio, combinada com a nota final do exame de ingresso na universidade.

O Conselho de Reitores das Universidades Chilenas (Cruch) confirmou que este ano o ranking será mantido, mas aceita discuti-lo em 2015.

Os manifestantes, estudantes de colégios de excelência, rejeitam o ranking, adotado em 2011, que segundo eles reduziria suas chances de ingresso nas universidades devido ao alto grau de exigência de suas instituições de ensino.