Estados dos EUA pensam medida para permitir armas em escolas

Os últimos a se somar a lista foram Virgínia e Carolina do Norte, segundo publicam hoje meios de comunicação locais

Washington – Legisladores de vários estados dos Estados Unidos estão colocando medidas para que os professores e outros trabalhadores dos colégios possam usar armas para proteger os alunos em caso de massacres como o ocorrido na escola de Newtown (Connecticut), onde morreram 20 crianças e seis adultos.

Os últimos a se somar a lista foram Virgínia e Carolina do Norte, segundo publicam hoje meios de comunicação locais de ambos os estados.

Legisladores desses dois Estados consideram necessário que professores e pessoal administrativo selecionado possam portar armas de fogo ou que exista um lugar da escola para guardá-las e poder recorrer a elas se aparecer alguém disposto a atacar.

Na Virgínia a proposta parte do legislador estadual Robert Marshall (republicano) e é apoiada pelo governador Bob McDonnell, do mesmo partido.

“Os colégios são alvos fáceis e é incrivelmente irresponsável deixá-los indefesos”, segundo o legislador Marcos McCullough (republicano) de Oklahoma, que impulsiona um projeto de lei para que os funcionários e professores tenham permissão para portar armas durante a jornada escolar.

No Oregon e Dakota do Sul legisladores estaduais do Partido Republicano estão apoiando essa mesma ideia.

Enquanto isso, no Tennessee, o senador Frank Niceley, também republicano, defende que em cada escola haja pelo menos um funcionário que ande armado o tempo todo.

Legisladores de Minnesota e Flórida também indicaram que vão estudar medidas para armar os professores, uma ideia apoiada pelo ex-secretário de Educação Bill Bennett.

O estado do Texas proíbe as armas nas escolas, a menos que o colégio dê à pessoa que o solicite uma autorização escrita para portar uma.

Arizona e outros seis estados têm leis similares, com exceções para as pessoas que têm licenças para portar armas escondidas.