Estádio de futebol americano é exemplo em sustentabilidade

Lincoln Financial Field é o primeiro estádio do mundo, com a auto-geração de energia renovável

São Paulo – Lincoln Financial Field, o estádio de futebol americano do clube Philadelphia Eagles, é o primeiro do mundo, com a auto-geração de energia renovável. O clube de futebol entrou em um empreendimento conjunto com a SolarBlue, uma empresa na Flórida, que está investindo cerca de US$ 30 milhões no projeto.

A empresa irá manter e operar sistema de energia do estádio nos próximos 20 anos poupando o Eagles de cerca de US$ 60 milhões em custos de energia. Em contra partida, a empresa espera que durante a vigência do contrato, seja capaz de gerenciar a produção energética, bem como gerar um número estimado de quatro megawatts de energia excedente – fora do pico – a ser vendido para a rede elétrica local.

Os painéis solares ficarão na porção superior do telhado do estádio, revestindo a fachada virada ao sul, e formando um teto sobre alguns lugares do estacionamento.

A área de estacionamento com manobrista será coberta pelos painéis que giram para melhor aproveitamento do sol. Os painéis serão os “carros chefe”, mas a equipe também planeja instalar pequenas turbinas eólicas no topo do estádio.

O estádio vai incluir 2.500 painéis solares e um conjunto de 80 turbinas de vento em forma de espiral para gerar eletricidade renovável. O estádio também terá uma usina de co-geração que utilizará gás natural e biodiesel.


Os engenheiros da SolarBlue estimam que converter o estádio para as energias renováveis ​​irá eliminar as emissões de CO2 equivalente a 500 mil barris de petróleo ou 24 milhões de galões de gasolina consumidos anualmente. Isso seria como retirar as emissões de carbono de 41 mil carros a cada ano.

Segundo Roger Goodell, comissário da Liga Nacional de Futebol (NFL, sigla em inglês), “Com esta iniciativa inovadora, o Eagles estão tomando mais um passo significativo em seu compromisso com a responsabilidade ambiental. A NFL tem orgulho de apoiar o Eagles, já que definem o bom exemplo para todos os esportes.”

“O Philadelphia Eagles estão orgulhosos de dar esse passo vital para a independência energética dos combustíveis fósseis”, disse Jeffrey Lurie proprietário do Eagles. “Ele enfatiza nossa forte crença de que as políticas ambientalmente sensíveis são consistentes com as práticas comerciais.”

Em 2009, o estádio reciclou 365 toneladas de resíduos, resultando em uma taxa de reciclagem de 31,7% e também foi lançado um programa de compostagem, coletando mais de 25 toneladas de resíduos orgânicos. Além disso, quase todos os produtos, de tecidos, da organização são feitos de fibra 100% reciclada.

Os Eagles também tornaram-se exemplo ao “fechar o círculo”, que significa que eles produzem matéria-prima para empresas de reciclagem de óleo e depois compram centenas de litros de biodiesel.


Para manter o campo, eles usam fertilizantes naturais e orgânicos e trabalham para minimizar o uso de pesticidas. Foram substituídos mais de 600 banheiros para aumentar a conservação da água.

A equipe implementou o Programa de Energia Renovável de Benefícios para Funcionários, que incentiva os empregados a comprar créditos de energia renovável (CERs) para alimentar suas casas. O Eagles, em seguida, remunera-os por qualquer diferença de preço incorrida.

O Philadelphia Eagles tem um compromisso antigo com a sustentabilidade ambiental. O programa “Go Green”, instituído em 2003, inclui conservação de energia e água, redução de lixo, reciclagem, compostagem, evita o uso de produtos químicos tóxicos, reflorestamento, prevenção e programa de incentivo para encorajar os funcionários a compra de energia renovável.

Estes esforços têm sido reconhecidos por uma série de prêmios, tais como o Prêmio de Compromisso contínuo da Associação de Mídia Ambiental (EMA), apresentado como parte das cerimônias do Academy Awards, que homenageia indivíduos que lideram o esforço global para educar as pessoas sobre questões ambientais e inspirar outros a tomar ação. O Eagles também recebeu um Prêmio de Sustentabilidade do Conselho Ambiental da Pensilvânia e o Prêmio Stevie de Melhor Programa de Responsabilidade Ambiental Corporativo.

O estádio também foi nomeado pelo PETA (People for the Ethical Treatment of Animals) pela segunda vez consecutiva, como o estádio mais vegetariano na NFL. Os outros TOP 5 eram Oakland, Green Bay, New England e Atlanta.