Mulheres influentes lançam campanha pela Síria

No vídeo, Sheila Lyall Grant (Grã-Bretanha) e Huberta von Voss-Wittig (Alemanha) imploraram para que Asma al-Assad "defenda a paz" e erga sua voz contra a repressão

Nova York – Milhares de pessoas apoiaram um apelo contra a violência feito à primeira-dama da Síria em um vídeo realizado pelas esposas dos embaixadores britânico e alemão nas Nações Unidas (ONU).

No vídeo, Sheila Lyall Grant (Grã-Bretanha) e Huberta von Voss-Wittig (Alemanha) imploraram para que Asma al-Assad “defenda a paz” e erga sua voz contra a repressão mortal promovida por seu marido, o presidente Bashar al-Assad.

Mais de 13.000 pessoas assistiram ao vídeo “Letter to Asma” nas primeiras horas depois de sua divulgação no YouTube, e milhares assinaram a petição on-line.

“Isto começou como uma iniciativa privada, pessoal de Huberta e minha, independente da ONU ou de nossos governos. Postamos (o vídeo) esta manhã (de terça-feira) e a partir de então cresceu de maneira exponencial, o que demonstra como as mulheres de todo o mundo, de todos os âmbitos da vida, apoiaram esta mensagem”, disse Grant, esposa do embaixador britânico na ONU, Mark Lyall Grant.

“Algumas mulheres se preocupam com o estilo e algumas mulheres cuidam de seu povo”, afirma o narrador sobre um fundo de imagens da glamurosa esposa do presidente intercaladas com imagens de crianças mortas no levante sírio iniciado há 13 meses.

Asma al-Assad, de 36 anos e nascida em Londres, casou-se com Assad em 2000, ano em que ele se tornou presidente. Ela é uma conhecida seguidora da moda de Paris e de marcas de estilistas famosos.

No entanto, o vídeo afirma: “Algumas mulheres lutam por sua imagem e algumas lutam pela sobrevivência. Detenha seu marido e seus partidários. Deixe de ser mais uma espectadora. Ninguém se preocupa com sua imagem, nós nos preocupamos com suas ações…”.

“Queremos que as mulheres de todo o mundo enviem uma mensagem clara a Asma al-Assad, que o derramamento de sangue deve chegar ao fim”, disse à AFP Voss-Wittig, esposa do embaixador alemão na ONU, Petter Wittig.

Na França, por exemplo, a atriz Catherine Deneuve, o diretor Costa Gravas e o ex-campeão mundial de futebol Lilian Thuram estiveram entre os astros que doaram suas fotos para outra iniciativa contra a repressão síria.

O prefeito de Paris, Bertrand Delanoe, se uniu na terça-feira a 200 pessoas na Trocadero, em frente à Torre Eiffel, para lançar a campanha “Onda Branca pela Síria” junto à Liga Internacional dos Direitos Humanos.

A campanha incentiva as pessoas a escrever “Stop” em um pano branco e a colocar fotos no site.