Esposa de refém britânico do EI pede sua libertação

A esposa de Alan Henning pediu que o Estado Islâmico liberte seu marido, capturado na Síria em 2013

Londres – A esposa do britânico Alan Henning, capturado na Síria pelo Estado Islâmico (EI), pediu que o grupo jihadista liberte seu marido após receber uma mensagem de áudio do refém no qual este “suplica por sua vida”, segundo um comunicado do Foreign Office divulgado nesta quarta-feira.

Apesar de os detalhes da mensagem enviada pelo taxista britânico, de 47 anos, sequestrado em dezembro de 2013 quando prestava socorro humanitário aos sírios, não terem sido divulgados, sua mulher, Barbara, respondeu aos jihadistas em comunicado divulgado pelo Ministério de Relações Exteriores britânico.

“Eu e as pessoas que me representam continuamos tentando entrar em contato com aqueles que retêm Alan. O Estado Islâmico segue ignorando nossas súplicas para entabular um diálogo”, disse Barbara Henning em sua nova mensagem ao grupo radical islâmico.

Nessa resposta ao EI, a esposa do voluntário britânico diz que viu “muçulmanos de todo o mundo questionando o Estado Islâmico sobre o destino de Alan” e acrescenta que “as vozes das pessoas falaram alto e claro”.

Os militantes do EI ameaçaram assassinar o taxista inglês, da cidade de Eccles, no condado de Salford, em um vídeo divulgado no dia 13 de setembro, no qual mostravam a decapitação do também britânico David Haines, cuja morte seguiu os assassinatos dos norte-americanos James Foley e Steven Sotloff, também mostrados em outras gravações divulgadas.

Barbara Henning tinha enviado outro comunicado ao EI através do Foreign Office no último dia 21, no qual lembrou que seu marido conduzia uma ambulância carregada com alimentos e água no momento em que foi sequestrado na Síria.

Na nova mensagem, a esposa do refém afirma que não compreende porque o EI “não pode abrir sua mente e coração perante os fatos que rodeiam a captura de Alan e porque continuam ameaçando sua vida”.

“Me disseram que compareceu perante uma corte da Sharia e foi considerado inocente de ser espião e declararam que não é uma ameaça. Imploro ao Estado Islâmico que obedeça as decisões de seu próprio sistema de justiça. Por favor, libertem Alan”, conclui Barbara na mensagem.

Na terça-feira passada, o EI divulgou um segundo vídeo do jornalista britânico John Cantlie, sequestrado na Síria em 2012, e que se encontra atualmente retido.

Por sua parte, as autoridades do Reino Unido indicaram que estão “mais perto” em sua busca do militante do EI com sotaque britânico que aparece nos vídeos prévios divulgados por essa organização jihadista como carrasco dos dois reféns americanos e de outro britânico nas últimas semanas.