Especialistas denunciam atraso e falhas da OMS sobre o ebola

Grupo de especialistas iniciou os trabalhos em 9 de março com a missão de "avaliar todos os aspectos da ação da OMS" ante a epidemia de ebola

Genebra – Um grupo de especialistas independentes com mandato da ONU denuncia em um relatório o atraso e as falhas da Organização Mundial da Saúde (OMS) na gestão da “epidemia sem precedentes” de ebola.

O grupo “continua sem entender por quês os alertas precoces feitos entre maio de junho de 2014 não receberam uma resposta séria e adequada”, afirma o documento.

A OMS não declarou estado de urgência mundial pelo ebola até 8 de agosto. A epidemia matou quase 11.000 pessoas, essencialmente na Guiné, Libéria e Sierra Leoa.

“Há um grande consenso para dizer que a OMS não tem uma capacidade suficientemente forte para realizar operações de emergência”, afirma o relatório.

O grupo de especialistas iniciou os trabalhos em 9 de março com a missão de “avaliar todos os aspectos da ação da OMS” ante a epidemia de ebola.

O grupo é presidido pela britânica Barbara Stocking, ex-presidente da Oxfam Grã-Bretanha.