Espanha e França mantêm alerta terrorista por jihadismo

Ambos os países manterão atual nível de alerta antiterrorista e não o elevarão, como fez o Reino Unido

Espanha e França manterão seu nível atual de alerta antiterrorista, em vez de elevá-lo, como fez o Reino Unido, preocupado pelo retorno ao país de islamitas britânicos que participam das guerras na Síria e no Iraque, afirmaram neste sábado seus ministros do Interior.

“Em nosso país é mantido o nível de alerta por terrorismo no nível 2. Não foi modificado”, afirmou o ministro espanhol, Jorge Fernández Díaz, em uma coletiva de imprensa, depois de se reunir em Barcelona, no nordeste da Espanha, com seu colega francês, Bernard Cazeneuve.

“É um nível alto, mas a Espanha não tem nenhum adicional de periculosidade ou ameaça em relação aos nossos sócios da União Europeia”, esclareceu Fernández Díaz. “Não há perspectiva de que o nível atual seja modificado”, acrescentou.

Por sua vez, Cazeneuve afirmou que na França existem dois níveis de alerta, um permanente e outro que é ativado apenas em caso de ameaça de atentado.

“O nível permanente é de um grau de vigilância muito grande e passamos ao nível de atentado quando se formula uma ameaça concreta, que não é o caso por enquanto”, explicou.

Na sexta-feira, a Casa Branca também descartou elevar o nível de alerta por terrorismo ao não estar ciente “de nenhuma ameaça crível aos Estados Unidos”, disse o secretário de Segurança Interior, Jeh Johnson.

O governo britânico decidiu, pelo contrário, elevar de “substancial” a “severo” o grau de ameaça à segurança, o que significa que é altamente provável que ocorram atentados, anunciou na sexta-feira a ministra do Interior, Theresa May.