Espanha convoca embaixador dos EUA por espionagem

Governo espanhol convoca o embaixador dos Estados Unidos em Madri ara esclarecer a suposta espionagem dos EUA em direção à Espanha

Bruxelas – O presidente do governo espanhol, Mariano Rajoy, ordenou ao ministro das Relações Exteriores, José Manuel García Margallo, a convocação do embaixador dos Estados Unidos em Madri, James Custos, para esclarecer a suposta espionagem dos EUA em direção à Espanha.

Rajoy confirmou essa decisão em uma entrevista coletiva realizada ao término do Conselho Europeu de Bruxelas, na qual explicou que o governo não tem a confirmação de que dirigentes políticos espanhóis foram espionados por parte dos EUA.

“Justamente para esclarecer este assunto é que pedi para Margallo convocar o embaixador americano”, explicou Rajoy, quem considerou que a espionagem não cabe entre países “amigos e aliados”.

O presidente do governo espanhol também explicou que não deverá adotar nenhuma medida até obter todas as informações sobre o caso, já que, até o momento, a suposta espionagem dos EUA à Espanha ainda não foi confirmada. “Eu sou o presidente do governo e, para tomar decisões, tenho que ter tudo muito fundamentado”, ressaltou Rajoy.

Em relação ao fato de Alemanha e França já ter avançado neste assunto, já que vão se dirigir aos Estados Unidos, Rajoy assinalou que, neste tipo de questões, as decisões são adotadas de forma individual por parte de cada país em função do que considerarem oportuno.

“As decisões nesta matéria não correspondem à UE, são competência exclusiva dos Estados-membros. França e Alemanha decidiram fazer uma coisa e os demais podem decidir o mesmo ou outra coisa”, finalizou.