Escolas de Newton reabrem hoje, exceto o cenário do massacre

Após a tragédia, todos os colégios da pequena cidade fecharam suas portas por precaução

Newtown – As escolas de Newtown, em Connecticut, onde na sexta-feira passada ocorreu um dos piores massacres da história dos Estados Unidos, reabriram nesta terça-feira, com exceção da Sandy Hook, cenário da tragédia.

Após o massacre, todos os colégios da pequena cidade fecharam suas portas por precaução. O crime continua sendo investigado pelas autoridades.

Na semana passada, o jovem Adam Lanza, de 20 anos, invadiu a escola Sandy Hook e assassinou 20 crianças (de entre seis e sete anos de idade) e seis adultos. Em seguida, o atirador se matou.

Hoje, as aulas voltaram nas escolas da cidade, enquanto o prédio do colégio onde ocorreu o massacre continua fechado. Segundo explicou o chefe da polícia estadual de Connecticut, Paul Vance, a investigação sobre a cena do crime ainda está em curso e poderia durar meses. A escola Sandy Hook pode até mesmo nunca voltar a funcionar.

O grande enigma das investigações é o que levou Lanza a praticar o crime. O atirador não deixou mensagens nem cartas explicando suas intenções. Antes do massacre na escola, com a qual aparentemente não tinha qualquer relação, Lanza matou sua mãe.

Enquanto isso, os alunos da escola primária Sandy Hook utilizarão as instalações do outro centro educacional Clalk Hill, na cidade de Monroe, que não está sendo utilizado.

As seis escolas em Newtown que reabriram hoje contarão com a presença de policiais para garantir a segurança dos mais dos 4.700 estudantes que voltaram às salas de aula.

Após o massacre, o debate sobre a necessidade das escolas do país contarem com guardas armados voltou com toda a força.

Em função do crime, as escolas de um dos distritos da Pensilvânia receberam neste final de semana permissão judicial para que os seus seguranças utilizem armas a partir de hoje, como já tinha sido solicitado pelas autoridades da localidade no início do mês.