Escócia quer discutir com Bruxelas sobre seu futuro na UE

A chefe do Governo regional da Escócia reiterou que examina a possibilidade de solicitar um segundo referendo de independência

A chefe do Governo regional da Escócia, Nicola Sturgeon, anunciou neste sábado que deseja “discussões imediatas” diretamente com Bruxelas e outros países da União Europeia (UE) “para proteger” o lugar do país no bloco.

“O governo concordou em buscar discussões imediatas com as instituições da União Europeia e outros Estados membros da UE, com o objetivo de explorar todas as opções possíveis para proteger o lugar da Escócia na UE”, disse Sturgeon, após uma reunião de emergência do governo regional para analisar as consequências da vitória do Brexit.

Em um discurso diante da residência oficial em Edimburgo, Sturgeon reiterou que examina a possibilidade de solicitar um segundo referendo de independência, depois que a Escócia votou em sua maioria pela permanência na UE na consulta britânica.

“Estamos decididos a atuar decisivamente, mas de um modo que contribua para a unidade em toda a Escócia sobre os próximos passos a dar”.

“Como disse ontem (sexta-feira), o segundo referendo de independência é claramente uma opção que deve estar sobre a mesa, e está sobre a mesa”.

“Para assegurar que tal opção é factível (…) serão adotados os passos para garantir que existe a legislação necessária”, completou.