Erdogan quer restabelecer pena de morte na Turquia

A decisão do presidente, que precisa da aprovação do parlamento, contradiz abertamente a política dentro da União Europeia

O presidente turco, Recep Tayyip Erdogran, reafirmou nesta sexta-feira que sancionará o restabelecimento da pena de morte se o parlamento assim aprovar, o que contradiz abertamente a política dentro da União Europeia.

A UE considera essa prática incompatível para uma adesão ao Bloco.

O presidente turco fez essa declaração ao falar uma multidão que coreava o lema “Queremos pena de morte” durante um ato oficial em Istambul.

“Quando vocês pedem isso, isso parece aborrecer certos senhores. O que é que eu já disse? Que validarei essa decisão se passar pelo parlamento”, declarou o chefe de Estado turco.

O restabelecimento da pena de morte na Turquia será com toda certeza bloqueado pelo Tribunal Europeu de Direitos Humanos (TEDH), admitiu Erdogan.

“Isso não me preocupa. Já sabemos que o Tribunal Europeu de Direitos Humanos toma muitas decisões, sabemos disso. Mas esta é a vontade do povo e essa vontade deve ser respeitada por todo mundo”, advertiu o chefe de Estado.

A Turquia aboliu completamente a pena de morte em 2004 como parte de seu processo de adesão a UE.