Erdogan diz que prometeu a Trump “limpar” a Síria do Estado Islâmico

O presidente da Turquia afirmou que dará continuidade ao trabalho realizado na Síria e pediu apoio logístico aos EUA

Istambul – O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, afirmou nesta sexta-feira que em uma conversa telefônica com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, prometeu a ele que seu país se encarregará de “limpar” a Síria do grupo jihadista Estado Islâmico (EI).

“Na conversa que mantive com Trump, ele perguntou: ‘Limpará (a Síria) a partir de agora do EI?’ Já limpamos e seguiremos limpando. Nos dê o apoio logístico necessário”, disse o líder turco durante uma cerimônia em Istambul.

O presidente disse “saudar com alegria e cautela” o anúncio dos Estados Unidos, realizado na quarta-feira, de que irá retirar suas tropas na Síria, onde combatem desde 2014 contra o EI, em aliança com as milícias curdas Unidades de Proteção do Povo (YPG).

“Começaram a retirada? Começaram”, disse.

O líder lembrou que na semana passada tinha anunciado a intenção de lançar uma operação militar de envergadura no nordeste da Síria, concretamente ao leste do Rio Eufrates, para expulsar as YPG, que Ancara considera terroristas pelos vínculos com a guerrilha curda da Turquia, o PKK.

“A nossa conversa telefônica com Trump, junto com outros contatos diplomáticos, nos levou a esperar um pouco. Obviamente, isto não é um período de espera com um final aberto”, disse Erdogan.

“Enquanto isso, seguiremos trabalhando em nossos planos operacionais para eliminar os elementos do EI que ainda estão na Síria”, acrescentou.

Erdogan lembrou as outras duas grandes operações turcas na Síria, a denominada “Escudo do Eufrates”, lançada em 2016 contra o EI em Jarabulus e ao norte de Aleppo, e a campanha de Afrin, iniciada em janeiro.

“Em Jarabulus neutralizamos 3 mil membros do EI. E depois disso, temos a capacidade para neutralizar os outros grupos terroristas, o PKK e as YPG”, ressaltou o presidente turco.

Embora não tenha falado de datas para a intervenção, Erdogan afirmou que a Turquia “adotará durante os próximos meses um estilo operacional para eliminar elementos do PKK-YPG e os do EI”.

Horas antes, o ministro de Relações Exteriores turco, Mevlüt Çavusoglu, tinha apontado que a retirada americana da Síria deveria ser realizado “em coordenação com a Turquia” para manter a luta contra os terroristas do Estado Islâmico.