Empresas de táxi de NY ficam paradas com falta de gasolina

Falta de energia e a escassez de combustíveis têm forçado muitos postos de gasolina a fechar, ameaçando esforços de Nova York e Nova Jersey para voltar aos negócios

Nova York - As empresas de serviços de carro e táxi de <a href="https://exame.abril.com.br/topicos/nova-york" target="_blank"><strong>Nova York </strong></a>começaram a tirar os veículos de circulação nesta quinta-feira, à medida que a crise de combustível se aprofundava, devido à falta de gasolina e energia na maioria dos postos atingidos pela tempestade Sandy.</p>

A falta de energia e a escassez de combustíveis têm forçado muitos postos de gasolina a fechar, e agora ameaçam os esforços em Nova York e Nova Jersey para voltar aos negócios após a tempestade.

Muitas casas e empresas que ficaram sem luz também dependem de geradores movidos a gasolina e diesel, incluindo muitos dos bancos de Wall Street em Manhattan.

“Nós tivemos que cancelar a saída de um monte de carros hoje, porque não há gasolina suficiente”, disse Joue Balulu, sócio do Fone-A-Car, no Brooklyn.

“Está afetando todo mundo. Nossos motoristas têm que sair para tentar encontrar gasolina.” Em Nova Jersey, a PSE&G informou que 780 mil casas e empresas ainda estavam sem energia elétrica, cerca de 35 por cento de seus clientes, abaixo dos 1,7 milhão impactados no pico.

Na quarta-feira, as associações varejistas de gasolina disseram que mais de 50 por cento dos postos de combustível em Nova York e Nova Jersey estavam fechados.

Grande parte da Baixa Manhattan, abaixo da 39th Street, permanece sem energia depois de uma explosão em uma subestação da Con Edison no East River durante a tempestade. A Con Edison disse na quarta-feira que poderia demorar mais três dias até que a energia fosse restabelecida.

Em um trecho da Rota 206 através de Bordentown, Nova Jersey, na quarta-feira, havia mais postos fechados do que abertos.

A fila de um dos poucos postos abertos, da Valero, estendia-se desde as bombas até a estrada, bloqueando o acostamento.

A cena em outro posto Valero lembrava a crise do petróleo nos EUA de 1973, com 26 carros amontoados em torno das bombas.

“Você alguma vez pensou que veria isso de novo?”, foi ouvido de um motorista através da janela aberta de seu carro.

O fornecimento de combustível em Nova York e Nova Jersey está sendo prejudicado de várias maneiras: duas refinarias que abastecem um quarto da capacidade de diesel e gasolina da região ainda estão em marcha lenta devido à falta de energia ou inundações. A hidrovia New York Harbor que importa um quinto do combustível da área ainda está fechada para o tráfego, e terminais de importação importantes estão danificados e sem energia.

O principal gasoduto que traz gasolina e diesel a partir do centro de refinaria da Costa do Golfo dos EUA, que bombeia 15 por cento do combustível na costa leste, também permanece fechado.