Empresa de familiares de Alckmin é suspeita de fraudar prefeitura de São Paulo

Wall Street Empreendimentos, empresa de parentes da mulher do governador, Lu Alckmin, pode estar envolvida em um esquema de falsificação de IPTU, afirma Folha de S. Paulo

São Paulo – A companhia Wall Street Empreendimentos e Participações Ltda., ligada à familiares da mulher do governador Geraldo Alckmin, Lu Alckmin, é acusada de falsificar documentos para pagar um valor menor na autorização da construção de prédios, afirma a reportagem do jornal Folha de S. Paulo nesta terça-feira. Segundo o texto, a fraude chega a R$ 4 milhões contra a Prefeitura de São Paulo.

A empresa de parentes de Alckmin economizou esse dinheiro na construção no edifício Royal Street, na Avenida Brigadeiro Faria Lima, na zona oeste da cidade. O licenciamento da obra, segundo o jornal, correu na prefeitura entre os anos de 1994 e 1999. Houve uma notificação de ilegalidade com a Polícia Civil em 2000, quando Alckmin era vice-governador.

O irmão de Lu Alckmin, Adhemar Cesar Ribeiro, é procurador da Wall Street. Outros sócios da empresa são Maria Paula Abreu Cesar Ribeiro, mulher de Adhemar, e Othon Cesar Ribeiro. A companhia participou campanha de Geraldo Alckmin para a presidência, em 2006.

O caso foi arquivado na prefeitura de Marta Suplicy, em 2001. O processo foi reaberto na última quinta-feira, quando o corregedor-geral de São Paulo, Edilson Bonfim, recebeu uma denúncia anônima.

A fraude da companhia Wall Street faz parte de um rombo de aproximadamente R$ 50 milhões nos cofres da Prefeitura de São Paulo, envolvendo 23 corporações, ao todo. O esquema da empresa dos parentes de Alckmin envolveu alteração no valor do metro quadrado no carnê do IPTU. Nem a Wall Street e nem o governador responderam às denúncias.

*Matéria atualizada às 18h18.