Suposto vídeo do EI mostra refém sendo queimado vivo

Em imagens divulgadas pelo site LiveLeak, piloto jordaniano aparece dentro de uma espécie de gaiola enquanto seu corpo é consumido pelas chamas

São Paulo – Dias depois de anunciar ter decapitado o jornalista japonês Kenji Goto, o Estado Islâmico (EI) publicou nesta terça-feira um novo vídeo de execução, cuja veracidade ainda não foi confirmada. Desta vez, contudo, a vítima aparenta ser o piloto jordaniano Maaz al-Kassasbeh e o mostra sendo queimado vivo. 

Segundo a rede de televisão americana NBC, o vídeo tem 22 minutos de duração e começa com o piloto sentado de frente para a câmera com um olho roxo. Em seguida, ele é filmado dentro de uma espécie de gaiola enquanto o seu corpo é dominado pelas chamas. O site LiveLeaks divulgou algumas imagens que pertencem ao vídeo produzido pelos extremistas. 

De acordo com a rede de notícias CNN, al-Kassasbeh foi capturado nas proximidades da cidade de Raqqa, informalmente considerada a capital do EI, depois que sua aeronave foi derrubada pela artilharia do grupo em dezembro do ano passado. 

Nas últimas semanas, os governos da Jordânia e Japão uniram forças para lutar contra a execução de seus dois cidadãos, al-Kassasbeh e Goto. O EI alegou que poderia poupar a vida da dupla se autoridades jordanianas libertassem a iraquiana Sajida al-Rishawi, presa no país desde 2006.

A Jordânia se mostrou disposta a fazer a troca, desde que obtivesse provas de que seu piloto ainda estivesse vivo. O EI jamais se manifestou e, no sábado, divulgou o vídeo da morte de Goto. Nesta terça, alegou ter executado al-Kassasbeh.

A data exata na qual o vídeo foi filmado ainda não foi confirmada pelo governo da Jordânia. Contudo, explica o jornal americano USA Today, as cenas divulgadas nesta semana teriam sido na realidade registradas no início de janeiro.