Em resposta a ataque, exército israelense bombardeia Gaza

Vários pontos do território palestino foram atingidos, inclusive um campo de treinamento da Jihad Islâmica

Gaza – O exército israelense realizou vários bombardeios no sul e no norte de Gaza na madrugada desta quarta-feira, uma ação que foi articulada em resposta ao lançamento de foguetes a partir do território palestino contra soldados israelenses, próximo à fronteira com a Faixa de Gaza.

De acordo com o relato de testemunhas em Gaza, caças-bombardeiros F-16, helicópteros e aviões não tripulados sobrevoaram a faixa governada pelo movimento islamita Hamas e, pouco tempo depois, várias explosões foram ouvidas na região.

Fontes de segurança palestinas indicaram que os dois primeiros bombardeios atingiram duas granjas próximas ao povoado de Rafah, no sul da faixa, e outros dois afetaram os restos de um túnel ao leste de Khan Yunes.

Segundo as fontes, pouco depois dos ataques no sul da Gaza, helicópteros de combate israelense efetuaram outros três bombardeiros consecutivos sobre um campo de treinamento da Jihad Islâmica, situado no norte.

Fontes hospitalares da região não informaram sobre feridos nos sete ataques, enquanto moradores da zona disseram que grandes danos materiais foram registrados nas fazendas e nas casas no entorno.

Em comunicado, o Exército israelense precisou que sua Força Aérea alcançou vários alvos de ‘infraestruturas terroristas na Faixa de Gaza’ e que os ataques realizados representavam uma ‘resposta’ ao disparo de foguetes contra soldados israelenses que operavam próximos à faixa de segurança, os quais conseguiram escapar ilesos.

Entre os alvos alcançados nesta madrugada, Israel apontou um centro de fabricação de armas e dois túneis no sul da faixa, assim como um local usado ‘para a atividade terrorista’ no norte.

Por enquanto, nenhuma facção armada assumiu a autoria do disparo dos projéteis contra o sul de Israel.

Testemunhas palestinas relataram que milicianos dispararam contra as tropas israelenses e lançaram uma bomba ao sul de Israel, a qual não teria deixado ninguém ferido. Segundo a rádio do Exército israelense, tropas adentraram por terra vários metros ao leste da Faixa de Gaza, onde escavadeiras militares foram usadas para aplainar o terreno.

No último mês, o Exército israelense destruiu um túnel de mais de dois quilômetros, o qual foi cavado ao leste de Gaza e chegava até ao território israelense.

O braço armado do Hamas reivindicou a construção desse túnel e ressaltou que o mesmo deveria ser usado para realizar ataques a Israel.