Em Cuba, centenas pedem libertação de Tania Bruguera

Bruguera foi detida novamente na quinta-feira após ir a uma prisão cubana pedir que outros opositores do governo fossem libertados, disseram dissidentes

Havana – Mais de 700 artistas escreveram nesta sexta-feira ao presidente cubano, Raúl Castro, pedindo a libertação de Tania Bruguera, uma artista performática presa pela terceira vez em três dias numa ofensiva que testou as novas relações com os Estados Unidos.

Bruguera foi detida novamente na quinta-feira após ir a uma prisão cubana pedir que outros opositores do governo fossem libertados, disseram dissidentes. Ela havia planejado um evento com microfone aberto mais cedo nesta semana que o governo comunista chamou de “provocação política”.

Os dissidentes, que possuem limitado apoio público na ilha caribenha, são denunciados por autoridades cubanas como sendo pagos pelos EUA. Em sua carta aberta a Raúl, artistas do mundo todo disseram estar “profundamente perturbados” com a reação de Cuba ao evento de Bruguera, que nunca aconteceu.

A artista, que divide seu tempo entre a ilha e projetos artísticos principalmente na Europa e nos EUA, disse à Reuters após sua primeira prisão que seu passaporte havia sido confiscado pelas autoridades cubanas.

“Nós acreditamos firmemente que sua detenção e a retirada de seu passaporte cubano são respostas inapropriadas a um trabalho de arte que simplesmente busca espaço aberto para discussão pública”, disse a carta dos artistas.

Autoridades cubanas normalmente não comentam atividades da polícia tais como a detenção de dissidentes.

Detenções breves são uma resposta padrão de Cuba a protestos de rua da oposição, mas elas têm aumentado significativamente duas semanas após Raúl e o presidente norte-americano, Barack Obama, anunciarem, em 17 de dezembro, a retomada das relações diplomáticas, encerrando mais de cinco décadas de hostilidades.

O chefe do grupo dissidente Comissão Cubana para Direitos Humanos e Reconciliação Nacional, Elizardo Sánchez, disse à Reuters TV que cerca de 60 pessoas foram detidas em conexão com o frustrado evento de Bruguera em 30 de dezembro, na Praça da Revolução, em Havana.

Uma dezena delas, incluindo Bruguera, ainda estava presa nesta sexta-feira, disse Sánchez.