EI reivindica ataque no Paquistão que matou mais de 40

Esta foi a primeira vez que o EI, que opera sobretudo na Síria e no Iraque reivindica um ataque no Paquistão

Cairo – O grupo jihadista Estado Islâmico (EI) reivindicou nesta quarta-feira a autoria de um atentado a tiros contra um ônibus no qual viajava um grupo de pessoas de credo ismaelita na cidade de Karachi, no sul do Paquistão, que causou 45 mortes e deixou 13 feridos.

Em comunicado divulgado em fóruns jihadistas, o ramo do EI na autoproclamada província de Khorasan – uma região que inclui o Afeganistão, partes do Paquistão, do Tadjiquistão e areas limítrofes -, assumiu ter cometido o ataque.

“Graças a Alá, foram assassinados 43 apóstatas e quase 30 ficaram feridos em um ataque do Estado Islâmico a um ônibus que transportava indivíduos ismaelitas (ramo do xiismo) infiéis, que insultam a honra de Maomé”, diz a nota.

Esta foi a primeira vez que o EI, que opera sobretudo na Síria e no Iraque – embora suas subdivisões tenham cometido atentados também em países como Argélia, Líbia e Egito – reivindica um ataque no Paquistão.

O atentado ocorreu durante a manhã na cidade de Karachi, no sul do país, quando mais de dez homens armados e que estavam em motos abriram fogo contra um ônibus que tinha saído de “um centro da comunidade ismaelita”, disse à agência Efe um superintendente da Polícia de Karachi, Afzal Nadeem Dogar.