EI convoca lobos solitários para cometer atentados nos EUA

Após convocação, cidades americanas reforçaram as medidas de segurança em seus principais pontos turísticos

Washington – As cidades de Nova York e Las Vegas reforçaram nesta quarta-feira as medidas de segurança em seus principais pontos turísticos, depois que o grupo jihadista Estado Islâmico (EI) fez uma convocação em fóruns da internet para que “lobos solitários” nos Estados Unidos realizem atentados nessas cidades com artefatos caseiros.

“Esta é a primeira vez que o EI usa este meio para incentivar um ataque com lobos solitários. Estamos bastante preocupados porque o EI tem mais capacidade do que a Al Qaeda para captar militantes através das redes sociais”, disse hoje o comissário de polícia William Bratton à imprensa local.

“Nova York está a apenas uma viagem de avião” dos militantes do EI treinados na Síria e com passaporte ocidental, acrescentou.

Para o oficial, a ameaça não é a possibilidade que células do EI realizem ataques nos Estados Unidos, mas a capacidade do grupo jihadista para incentivar a ação de “lobos solitários” no país.

Um das mensagens que provocaram o alerta da polícia em Nova York e Las Vegas é um guia com o título: “Aos lobos solitários nos Estados Unidos: Como fabricar uma bomba em sua cozinha, criar cenas de terror em lugares turísticos e outros alvos”, que foi divulgado em primeira mão pelo site “Vocativ”.

Diante dessa ameaça, que menciona explicitamente um potencial atentado na Times Square de Nova York, a polícia da cidade reforçou a segurança nas últimas horas, mas garante que não há indícios de nenhum ataque planejado contra a cidade.

Las Vegas é outra das cidades mencionada nos comentários dos jihadistas na internet, por isso a polícia local aumentou a vigilância, apesar de também não ter identificado uma ameaça concreta.

O recrutamento de cidadãos ocidentais para lutar nas fileiras do EI é uma das maiores preocupações dos governos dos EUA e da Europa por se tratar de indivíduos com liberdade de movimento e que, portanto, poderiam cometer atentados em solo americano ou europeu.

Precisamente, a Justiça americana acusou ontem o jovem Mufid A. Elfgeeh, um iemenita naturalizado americano, de recrutar militantes para lutar nas fileiras do Estado Islâmico na Síria e no Iraque e para atentar contra muçulmanos xiitas e militares nos EUA.