Egito enviará a outro país gravação de caixa-preta russa

O Egito resiste em aceitar a tese de um atentado com bomba para explicar a queda do avião russo no Sinai

O Egito enviará para outro país uma gravação de sete minutos, que inclui um “ruído” gravado pela caixa-preta do Airbus russo pouco antes de cair no Sinai egípcio no final de outubro, informou uma fonte oficial.

O Egito resiste em aceitar a tese de um atentado com bomba para explicar a queda do avião russo no Sinai, mas a Grã-Bretanha e os Estados Unidos, entre outros, têm priorizado a possibilidade de uma bomba no interior do A321 da companhia aérea Metrojet, que caiu em 31 de outubro, minutos depois de decolar do balneário egípcio de Sharm el-Sheikh, matando as 224 pessoas a bordo.

O grupo jihadista Estado Islâmico (EI), cujo ramo egípcio é muito ativo no norte da península do Sinai, afirmou ser responsável pela queda do avião.

O chefe egípcio da equipe de investigadores, Ayman al-Mokaddem, disse na semana passada que ainda não tinha chegado a “nenhuma conclusão” sobre as causas da queda do avião russo e que um “ruído” ​​registrado por uma caixa-preta seria analisado.

“O som será analisado com material específico”, declarou o ministro da Aviação Civil, Hosam Mohamed Kamal, ao jornal Al Ahram, em entrevista publicada nesta sexta-feira.

“Os últimos sete minutos de gravação da caixa-preta serão enviados a um dos países (…) que possui o equipamento necessário para analisar o som e sua causa. Não enviaremos a gravação original”, explicou.