Egito chama Israel e palestinos para retormar negociações

Em comunicado, Cairo pediu que se "volte a respeitar o cessar-fogo", expirado esta manhã na Faixa de Gaza

Cairo – O Ministério das Relações Exteriores do Egito pediu nesta sexta-feira a Israel e às facções palestinas para estar “à altura de suas responsabilidades” e a retomar de forma imediata às negociações para um novo cessar-fogo.

Em comunicado, Cairo pede que se “volte a respeitar o cessar-fogo”, que expirou esta manhã na Faixa de Gaza, e “aproveite a oportunidade que oferece a mediação (egípcia) para voltar a dialogar sobre os pontos pendentes o mais rápido possível”.

O Ministério das Relações Exteriores “lamenta profundamente” que não se tenha aceitado ampliar a trégua e se tenham retomado as operações militares na Faixa de Gaza, “o que expõe o povo palestino a novos perigos”.

Além disso, lembra que para prosseguir com as negociações que permitam aproximar posições era necessário manter a trégua de 72 horas estipulada na segunda-feira passada.

Apesar de tudo, Cairo assegura que durante as conversas se fechou um acordo na maioria dos temas, “embora tenham restado alguns pontos muito concretos para se fechar”.

As diferenças sobre a retirada do bloqueio que Israel impôs à Faixa de Gaza em 2007 impediram que as partes fechem um acordo para um cessar-fogo permanente na região, segundo informou o jornal israelense “Yedioth Ahronoth”.

Até o momento, o final da trégua entre Israel e Gaza fez suas primeiras vítimas, entre elas uma criança palestina, que morreu no ataque a uma mesquita, enquanto 12 pessoas ficaram feridas, três delas israelenses.