Egito acusa máfia por naufrágio com quase 500 imigrantes

O Egito acusou uma máfia que transporta imigrantes ilegais à Itália pelo naufrágio no Mediterrâneo de um barco com 500 pessoas

Cairo – O Cairo acusou nesta quarta-feira uma máfia que transporta imigrantes ilegais à Itália pelo naufrágio no Mediterrâneo de um barco com 500 pessoas que partiram do Egito.

“Há uma máfia de traficantes que trabalham levando escondidos para a Itália imigrantes ilegais”, declarou o porta-voz do ministério do Interior, Hany Abdel Latif, à AFP.

Das quase 500 pessoas que partiram do Egito no dia 6 de setembro com a esperança de chegar à Itália, apenas 10 sobreviveram no que parece ser o pior naufrágio dos últimos anos, indicou na terça-feira a Organização Internacional para as Migrações (OIM).

Os serviços de socorro encontraram apenas 10 sobreviventes e três cadáveres depois do naufrágio, aparentemente provocado, informou a organização.

Quatro sobreviventes recebidos na Grécia confirmaram à OIM o testemunho de dois sobreviventes palestinos resgatados na Itália, segundo os quais os traficantes fizeram o barco no qual eles se encontravam junto com outros 500 imigrantes virar.

Com este naufrágio e os dezenas de desaparecidos no acidente com outra embarcação no domingo perto da Líbia, o número de imigrantes mortos ou desaparecidos no mar neste ano se aproxima dos 3.000, ou seja, quatro vezes o balanço de 2013, estimado em 700 mortos, segundo a OIM.