Economia chinesa cresce mais do que o esperado

Em abril, o aumento da produção industrial foi de 16%, apesar das medidas restritivas adotadas pelo governo

As tentativas recentes do governo chinês, de desacelerar a expansão econômica do país, parecem não estar dando resultado. Em abril, a produção industrial cresceu 16% em comparação com o mesmo período do ano passado. O número surpreendeu o mercado, que havia previsto, no máximo, um aumento de 15,2% na produção.

Segundo os analistas, o aquecimento da economia chinesa foi puxado pelas exportações, que cresceram acima do esperado, e também pelo consumo interno. Há um ano, o governo chinês vem adotando medidas para reduzir tanto os empréstimos, como os investimentos, mas no mês passado os principais indicadores não refletiram tais restrições.

Os resultados podem trazer problemas às autoridades. De acordo com o jornal Financial Times, Beijing está sob intensa pressão internacional para valorizar sua moeda, o yuan, o que elevaria o preço dos produtos chineses no mercado externo.

O aquecimento econômico acima do esperado está principalmente relacionado à produção de computadores, que cresceu 69% em abril, com destaque para o segmento de laptops, que dobrou o número de unidades produzidas.