Economia americana desacelera e cresce 3,4% no segundo trimestre

Queda do nível de estoques comprometeu o desempenho dos Estados Unidos, mas economistas prevêem retomada nos próximos meses

A economia americana cresceu em um ritmo mais lento no segundo trimestre, apesar de ainda se manter acima da taxa anualizada de 3% por nove trimestres consecutivos. Entre abril e junho, o Produto Interno Bruto (PIB) dos Estados Unidos subiu 3,4%, de acordo com o Departamento de Comércio. No primeiro trimestre, a expansão havia sido de 3,8%.

Segundo o americano The Wall Street Journal, o desempenho da economia foi enfraquecido pela queda dos níveis de estoque nas empresas. Os estoques, que chegaram a crescer 58,2 bilhões de dólares no primeiro trimestre, recuaram 6,4 bilhões no período seguinte. A queda, para os economistas, implicou um corte de 2,32 pontos percentuais na expansão do PIB do segundo trimestre.

O baixo nível, porém, pode se transformar em um ponto positivo para estimular a economia americana nos próximos meses. Nos três últimos meses, o consumo interno continuou aquecido, fechando o período com um crescimento real de 5,8%. Os economistas acreditam que essa situação permanecerá nos próximos meses, o que deve estimular as empresas a recompor seus estoques.

“Com a demanda doméstica ainda forte, os estoques, hoje em um nível muito baixo, precisarão ser repostos”, afirmou Steven Wood, analista da consultoria Insight Economics, em relatório reproduzido pelo jornal.

Os estoques baixos também contribuíram para reduzir o déficit comercial americano nos últimos meses. A importação de bens e serviços, pelos Estados Unidos, caiu 2% entre abril e junho. Foi a primeira queda em dois anos, de acordo com The Wall Street Journal. Além disso, as exportações cresceram 12,6% a maior taxa desde o quarto trimestre de 2003, quando foi de 19,1%. O bom desempenho do comércio exterior agregou 1,57 ponto percentual ao PIB do segundo trimestre. Trata-se da primeira vez que a balança comercial ajuda a economia americana, desde o terceiro trimestre de 2003.