É preciso esperar propostas concretas da Grécia, diz Merkel

"É o momento de escutar a Grécia. Ficamos contentes que amanhã já ocorra um primeiro encontro direto entre nossos governos", disse a chanceler

Berlim – A chanceler alemã, Angela Merkel, insistiu nesta quarta-feira que “devem ser esperadas propostas concretas” do novo governo da Grécia antes de se fazer avaliações sobre o futuro da dívida do país, e rejeitou que possam ser criadas duas frentes dentro da zona do euro.

“É o momento de escutar a Grécia. Ficamos contentes que amanhã já ocorra um primeiro encontro direto entre nossos governos”, disse Merkel, em um comparecimento na Chancelaria junto ao primeiro-ministro de Malta, Joseph Muscat.

A chanceler se referiu assim à reunião que será realizada na quinta-feira em Berlim com o ministro alemão de Finanças, Wolfgang Schäuble, e o representante grego, Yanis Varufakis.

O ato faz parte da rodada de encontros dos membros do novo governo grego com diferentes líderes europeus.

Em resposta a uma pergunta sobre a hipotética “cisão” dentro da zona do euro em dois blocos – em alusão a uma teórica maior afinidade dos governos de Itália e França em relação à Grécia -, Merkel rejeitou que existam diferenças de parecer entre Alemanha e seus parceiros.

Merkel lembrou que há anos a Alemanha sempre trabalhou com um objetivo, a permanência da Grécia no euro, e garantiu que o mesmo será feito no futuro.

Muscat insistiu que o novo governo da Grécia deve “se sujeitar às regras” firmadas e aceitas por seus antecessores, enquanto falou da necessidade de agir “com flexibilidade”, mas sem renunciar às normas que “regem para todos”.

Varufakis se reunirá amanhã com Schäuble após ter se reunido com com o presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, em Frankfurt nesta quarta-feira.

Este será o primeiro encontro direto entre representantes de ambos os governos, à espera que Merkel mantenha um primeiro contato com o primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, na cúpula da UE no dia 12 de fevereiro.