É oficial: o mundo idolatra Barack Obama (exceto a Rússia)

Pesquisa realizada em 40 países mostrou que ninguém confia mais nas decisões de Obama que a população das Filipinas. Na Rússia, é claro, a história é outra

São Paulo – Ele já usou um pau de selfie e participou de um quadro engraçadinho em um dos mais prestigiados programas de entrevistas da televisão americana. Não há dúvidas de que Barack Obama é bem-humorado. Agora, uma pesquisa recente revela que ele é também admirado mundo afora. Quer dizer, com exceção da Rússia.

A pesquisa foi conduzida em 40 países pelo Pew Research Center, uma organização independente que é formada por especialistas de diferentes áreas que se dedicam ao estudo dos acontecimentos políticos, sociais e econômicos, e faz parte de um estudo maior que teve como objetivo observar a imagem geral dos Estados Unidos.

Pois segundo os resultados obtidos, 65% dos países avaliados disseram confiar nas decisões do atual presidente americano no que diz respeito às relações político-diplomáticas no planeta. “De forma geral, Obama é muito mais popular que seu predecessor”, constatou a entidade. Lembrando que o ex-presidente em questão era George W. Bush.

E é nas Filipinas onde estão as pessoas que mais acreditam em Obama: 94%. Em seguida, está a Coreia do Sul, país no qual o grau de confiança nele é de 88%. A França ficou na terceira colocação, com 83%, enquanto que Gana levou a quarta com 82%. No Brasil, a percentagem de entrevistados que declararam crer plenamente no presidente americano é de 63%.

Ainda segundo a pesquisa, a imagem de Obama melhorou com o passar dos anos. “Em 14 dos 36 países mais pessoas agora dizem ter confiança no presidente”, explicou a entidade. Neste ponto, seus maiores ganhos foram na Índia, país visitado por ele no início do ano. Na África subsaariana e países membros da União Europeia, ele também recebeu críticas positivas.

Obama até é celebrado em muitas partes do mundo. Há, contudo, um punhado de países que se revelaram céticos quanto às ações do presidente. Em Israel, por exemplo, 49% aprova o líder americano, mas vem caindo nos últimos anos.

Tal queda, explica a entidade, é atribuída aos desentendimentos por vezes públicos entre Obama e o presidente israelense Benjamin Netanyahu e também às negociações sobre um possível acordo nuclear com o Irã.

Nenhum dos países, contudo, reprova mais Obama que a Rússia. Por lá, 86% das pessoas disseram não confiar no líder dos EUA. Um dos pontos mais delicados é a crise na Ucrânia: nove em cada dez russos estão descontentes com a forma com a qual o problema é conduzido. Em seguida, estão as populações dos territórios palestinos, com 82%, e da Jordânia, com 83%. 

Vale lembrar que em outra pesquisa deste mesmo estudo e que media o grau de apoio dos EUA de forma geral, tanto a Rússia quanto a Jordânia e os territórios palestinos expressaram sentimentos negativos sobre a nação ianque.