Duquesa julgada por atentar contra direitos infantis

O promotor pede uma pena de sete a 22 anos de prisão para Sarah Ferguson

Ancara – Um tribunal de Ancara começou a julgar à revelia nesta sexta-feira Sarah Ferguson, duquesa de York e ex-esposa do segundo filho da rainha Elizabeth II, Andrew, por um documentário em que ela denuncia as condições de vida nos orfanatos turcos.

A duquesa de York é acusada de “atentado contra a vida privada de cinco crianças” do orfanato para deficientes de Saray, nas proximidades de Ancara, onde filmou em 2008 com uma câmera oculta, segundo a agência Anatolia.

O promotor pede uma pena de sete a 22 anos de prisão para Sarah Ferguson.

O advogado de Ferguson, Cansu Sahin, leu um pedido de conciliação que será analisado nos próximos dias.

O documentário foi exibido no canal britânico ITV1 em novembro de 2008.

As imagens mostravam um menino deficiente encostado em um corredor no qual se arrastava para se aproximar da luz do sol e outro em um móvel de madeira.

Ancara acusou Sarah Ferguson de má vontade e de ter tentado prejudicar a reputação da Turquia.