Dólar registra desvalorização recorde frente ao euro

Moeda americana é pressionada pela expectativa de que o encontro do G-20 não resultará em uma política de fortalecimento do dólar

A moeda americana continua pressionada pela pouca disposição das nações mais desenvolvidas em promover uma política conjunta de fortalecimento do dólar. O sinal mais recente partiu dos representantes do G-20, grupo dos 20 países mais ricos do mundo, que deve se reunir em Berlim nesta sexta-feira (19/11). Com isso, o dólar registrou uma desvalorização recorde frente ao euro na manhã desta quinta-feira, que foi cotado a 1,3074 dólar.

Segundo o jornal britânico Financial Times, apesar das declarações de que europeus e japoneses estão preocupados com o enfraquecimento do dólar, o encontro do G-20 não deverá apresentar, em seu documento final, referências a uma política de recuperação da moeda americana. O secretário do Tesouro dos Estados Unidos, John Snow, reforçou a expectativa ontem, quando afirmou que a intervenção no mercado não é a melhor opção.

Para os investidores americanos, as palavras de Snow mostram que, mesmo pregando uma política de fortalecimento do dólar, o governo americano está satisfeito com a atual taxa de câmbio. Já os investidores de outros países iniciaram um movimento para testar até que ponto os Estados Unidos permitirão a depreciação de sua moeda.

Em relação ao iene, o dólar abriu em baixa nesta quinta-feira (18/11) e foi cotado a 103,66 ienes. Trata-se da menor cotação nos últimos sete meses e meio. Segundo o presidente do banco central japonês, Toshihiko Fukui, a pressão sobre o dólar é apenas “especulativa”.