Dívida pública da Espanha sobe a 66% do PIB

O nível da dívida espanhola está 6% acima do limite máximo estabelecido pelo Pacto de Estabilidade da União Europeia

Madri – A dívida pública espanhola representava no terceiro trimestre deste ano 66% de seu PIB, em alta de 7,3 pontos percentuais em relação aos 58,7% do mesmo período do ano passado, segundo dados divulgados nesta sexta-feira pelo Banco da Espanha.

O nível da dívida espanhola se situa deste modo 6% acima do limite máximo estabelecido pelo Pacto de Estabilidade da União Europeia (UE), embora esteja quase 20 pontos abaixo da média europeia (85,1% do PIB).

No fim de setembro, chegava a 706,34 bilhões de euros, 66% do PIB, idêntica proporção que há três meses atrás.

Esta média é a mais elevada para o país desde 1997, quando a dívida pública espanhola representava 66,1% do PIB, segundo as informações fornecidas pelo Banco da Espanha.

O governo prevê para o fim de 2011 uma dívida de 67,2% do PIB, e seu objetivo é mantê-la abaixo dos 70% até 2014. O instituto de estatísticas europeu Eurostat calcula 69,6% em 2011, 73,8% em 2012 e 78% em 2013.

A dívida pública espanhola, em proporção ao PIB, está em alta contínua desde o primeiro trimestre de 2008, quando alcançou 35,8%, após mais de uma década em queda, quando o país se encontrava em alto crescimento com as contas públicas em superávit.

A situação das 17 regiões autônomas é particularmente preocupante: no terceiro trimestre de 2011, sua dívida acumulada alcançava 135,151 bilhões de euros, ou seja, 12,6% do PIB do país (contra 10,6% um ano antes), um recorde histórico, segundo os dados do Banco da Espanha, enquanto a dos municípios caiu levemente em um ano, a 36,701 bilhões (3,4% do PIB).

O alto grau de autonomia das regiões espanholas é motivo de inquietação para os mercados, que temem que seu endividamento comprometa o objetivo do governo de reduzir seu déficit.