DIs caem após Focus mostrar queda no cenário de Selic

Projeções de juros em queda mostram necessidade de medidas de aperto monetário menos rígido

São Paulo – As projeções de juros tinham leve queda nesta segunda-feira, depois de o Focus mostrar queda no cenário para a Selic deste ano, mostrando que cresce a visão de que medidas macroprudenciais podem ser adotadas, permitindo um aperto monetário mais moderado.

Às 10h34, o contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) janeiro de 2012 projetava 12,20 por cento, contra 12,24 por cento no ajuste da sexta-feira.

O DI janeiro de 20 estava em 12,74 ante 12,76 por cento.

Segundo o Focus, o mercado reduziu a previsão para a Selic no fim de 2011 de 12,50 para 12,25 por cento.

Na semana passada, o BC anunciou ajustes técnicos nas regras de recolhimento dos compulsórios sobre recursos a prazo, posição vendida de câmbio e na exigibilidade adicional sobre depósitos. Apesar de dizer que o impacto sobre a liquidez seria neutro, o mercado viu no movimento espaço para novos aumentos.

Além disso, analistas vêm lendo em declarações do BC disposição de adotar mais medidas macroprudenciais para acompanhar o aperto monetário feito no ano.

O mercado aguarda com ansiedade a divulgação do Relatório de Inflação, na quarta-feira, em busca de pistas sobre o pensamento do BC nesse sentido.

“Independente do tom a ser adotado no Relatório de Inflação, continuamos a avaliar que o BC deverá encerrar o processo de elevação da Selic com mais um aumento de 50 pontos-base (0,50 ponto percentual)… Não descartamos, porém, a adoção de novas medidas de caráter macroprudencial, como o próprio BC deixou em aberto na última ata do Copom”, afirmou em nota a LCA Consultores.

Apesar da queda na previsão da Selic, o Focus mostrou piora nas expectativas de inflação. A previsão para a alta do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) subiu de 5,88 para 6 por cento. Para o ano que vem, o número subiu de 4,80 para 4,91 por cento.

“A despeito da nova piora das expectativas de inflação, vale destacar que alguns sinais alvissareiros têm surgido nas últimas semanas: os índices de preços acusaram desaceleração e incipiente descompressão de medidas como núcleos e dispersão; e os preços internacionais das commodities têm ensaiado perda de ímpeto, ainda que de maneira irregular”, acrescentou a LCA.