Diretora de museu que expôs Putin de lingerie é presa

Diretora de um museu particular que realizou uma exposição mostrando o presidente Vladimir Putin e seu primeiro-ministro usando lingerie foi presa pela polícia

São Petesburgo – A diretora de um museu particular que realizou uma exposição mostrando o presidente Vladimir Putin e seu primeiro-ministro Dmitri Medvedev usando lingerie foi presa pela polícia de São Petersburgo e libertada horas depois, segundo o fundador da instituição, Alexandre Donskoi.

Titova, depois de libertada, não conseguiu obter informações da polícia sobre o por que foi presa.

O artista russo autor das obras informou na semana passada que vai pedir asilo político na França.

Konstantin Altounine, 45 anos, é o criador das controversas obras que foram apreendidas pela polícia de São Petersburgo na exposição intitulada “Travestis”.

Segundo ele, a ideia dos quadros surgiu em setembro de 2001, depois que Putin e Medvedev anunciaram a intenção de trocar de função, perpetuando-se no poder.

“Acho que nossas autoridades deviam ter mais senso de humor”, declarou.

Um dos quadros apreendidos pela polícia mostrava Vladimir Putin junto a Dmitri Medvedev usando camisola, calcinha e sutiã.

Outro mostrava o deputado Vitali Milonov, autor da polêmica lei que pune a propaganda gay ante menores, parado diante de uma bandeira de arco-íris.