Diretor de empresa que causou vazamento na Hungria é preso

Segundo o primeiro-ministro Viktor Orbán, a partir de agora o Estado vai controlar as atividades da empresa de alumínio, a MAL

Budapeste – O diretor-geral da empresa de alumínio MAL, Zoltán Bakonyi, proprietária do dique que originou o vazamento tóxico na Hungria, foi detido hoje.

O anúncio foi feito pelo primeiro-ministro do país, Viktor Orbán, que informou ainda que a empresa está sob o controle direto do Estado.

Em discurso perante o Parlamento, Orbán anunciou que será criado o cargo de “Comissário de Defesa para Catástrofes”, responsável por “supervisionar, dirigir e conduzir” os bens da MAL.

“A empresa que causou a catástrofe do “barro vermelho” deverá ser dirigida pelo Estado”, manifestou o primeiro-ministro. “Não podemos seguir vivendo com perigos secretos”, acrescentou.

Por outra parte, Orbán ressaltou que a Hungria não pode permitir-se perder milhares de postos de trabalho na região afetada, indicando que será reiniciada a produção da MAL, suspensa após a catástrofe.

Os responsáveis pelo incidente, que causou pelo menos sete mortes, além de ter deixado mais de 100 feridos, serão castigados mediante um processo “severo e justo”, ressaltou o premiê húngaro.

Orbán acrescentou que os prejudicados serão indenizados, mas não com dinheiro dos contribuintes, e sim pela empresa.

Leia mais notícias sobre governo

Siga as notícias do site EXAME sobre Mundo no Twitter