Diretor do New York Times no Paquistão é expulso do país

Segundo o jornal americano, diretor foi acusado pelas autoridades de ter realizado "ações indesejáveis"

O diretor do escritório do New York Times no Paquistão foi expulso do país neste domingo acusado pelas autoridades de ter realizado “ações indesejáveis”, indicou o jornal americano.

“Vou embora, é difícil acreditar que isto está acontecendo”, escreveu Declan Walsh no Twitter depois de publicar seu último artigo sobre as eleições legislativas do Paquistão, realizadas no sábado.

“Informamos que seu visto fica cancelado a partir de agora devido as suas atividades indesejáveis. Tem que deixar o país em 72 horas”, dizia a ordem de expulsão enviada ao jornalista neste domingo.

Posteriormente, Walsh foi escoltado ao aeroporto por um comboio dos veículos de segurança.

Jill Abramson, a editora-executiva do jornal, enviou uma carta às autoridades paquistanesas em defesa de Walsh, “um jornalista íntegro que sempre forneceu informação equilibrada, matizada e factual sobre o Paquistão”.

Walsh, de 39 anos, foi contratado no ano passado pelo NYT depois de ter sido correspondente no Paquistão para o jornal britânico The Guardian desde 2004.