Diplomata diz que foi algemada e passou por revista íntima

Vice-cônsul da Índia em Nova York foi detida na semana passada nos EUA e disse que foi algemada, levada a uma cela comum e passou por revista íntima

Nova Deli – Devyani Khobragade, vice-cônsul da Índia em Nova York, detida na semana passada na cidade americana, denunciou em um e-mail divulgado nesta quarta-feira pela imprensa do país asiático que foi algemada, levada a uma cela comum e passou por revista íntima, o que a deixou profundamente abalada.

A detenção da diplomata provocou uma tensão inédita nas relações recentes entre a Índia e os Estados Unidos.

“Devo admitir que vim abaixo muitas vezes com a indignidade de ser algemada, revistada e explorada em minhas partes íntimas e levada para uma cela com criminosos comuns e drogados, apesar de meus incessantes pedidos de imunidade”, escreveu Devyani em um e-mail enviado ao Serviço Exterior da Índia.

A vice-cônsul foi detida e algemada na quinta-feira passada pela polícia nas ruas de Nova York após supostamente mentir para que uma de suas empregadas obtivesse um visto para viver nos Estados Unidos.

A diplomata foi libertada após pagar fiança de US$ 250 mil. Devyani foi acusada de “fraude” por um fiscal de Manhattan de origem indiana, segundo o qual a vice-cônsul falsificou documentação para obter um visto para uma mulher que trabalha em sua casa como empregada e babá de suas duas filhas.

A doméstica, Sangeeta Richard, afirmou que a diplomata lhe prometeu pagar US$ 4,5 mil por mês, como constava na documentação enviada para obtenção de visto, mas que na realidade recebia apenas US$ 537.

A polícia americana confirmou que a vice-cônsul foi revistada, “assim como outros detidos”, segundo o jornal “The Times of Índia”.

O país asiático argumenta que Devyani Khobragade não podia ser detida devido ao seu cargo e que os EUA violaram a Convenção de Viena em relação à imunidade diplomática.

A Índia pediu ontem aos diplomatas dos EUA que devolvam seus cartões de identificação, que concede privilégios para viajar, e desmantelou as cercas que protegiam a embaixada de Washington em Nova Délhi. Além disso, o governo limitou as importações da embaixada americana ao país, entre elas de álcool.

De acordo com a imprensa local, as autoridades do país asiático ameaçaram expulsar os companheiros dos diplomatas americanos homossexuais pois a Índia não reconhece uniões entre pessoas do mesmo sexo.