Dilma anuncia mais dez ministros para seu governo

A nota diz que a presidenta eleita “determinou a seus novos auxiliares que trabalhem de forma integrada com os demais setores do governo"

A presidente eleita Dilma Rousseff anunciou, em nota, mais dez nomes que integrarão a equipe ministerial. Foram escolhidos os seguintes peemedebistas: o senador Garibaldi Alves (PMDB-RN) para o Ministério da Previdência, o senador Edison Lobão (PMDB-MA) para o Ministério de Minas e Energia, o deputado federal Pedro Novais (PMDB-MA) para o Ministério do Turismo, Wagner Rossi (PMDB-SP) para continuar à frente do Ministério da Agricultura e o ex-governador do Rio de Janeiro Moreira Franco (PMDB-RJ) para a Secretaria de Assuntos Estratégicos.

Os nomes foram escolhidos a critério do vice-presidente Michel Temer (PMDB-SP) e dos senadores José Sarney (PMDB-AP) e Renan Calheiros (PMDB-AL). O peemedebista Nelson Jobim, que deve continuar no comando da Defesa, foi o único nome do partido que não foi anunciado nesta quarta-feira. Ele fará parte da cota pessoal de Dilma, e não do PMDB.

Também foram escolhidos para compor a equipe ministerial a senadora Ideli Salvatti (PT-SC) para o Ministério da Pesca e Aquicultura, a deputada federal Maria do Rosário (PT-RS) para a Secretaria de Diretos Humanos, a jornalista Helena Chagas para a Secretaria da Comunicação Social, o atual ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, para o Ministério das Comunicações e o senador Alfredo Nascimento (PR-AM) para o Ministério dos Transportes.

A nota diz que a presidenta eleita “determinou a seus novos auxiliares que trabalhem de forma integrada com os demais setores do governo para dar cumprimento a seu programa de desenvolvimento com distribuição de renda e estabilidade econômica, assegurando a melhoria de vida de todos os brasileiros”.

Até agora 16 ministros foram anunciados para compor a equipe do próximo governo. Na sexta-feira passada Antonio Palocci foi confirmado ministro da Casa Civil, Gilberto Carvalho, ministro da Secretaria-Geral da Presidência, e José Eduardo Cardozo, ministro da Justiça.

A equipe econômica foi a primeira a ser divulgada por Dilma, no dia 24 de novembro: Guido Mantega, para o Ministério da Fazenda, Miriam Belchior, para o Planejamento, e Alexandre Tombini para o Banco Central.