Detentos usam sobras de banners na produção de bolsas

Dentre os materiais utilizados, os que mais se aproveitam são sobras de lonas vinílicas, fundos de palco, banners e outdoors encontrados no lixo

São Paulo – A ONG TemQuemQueira, de Niterói, no Rio de janeiro, desenvolve um trabalho, com presidiários, de reaproveitamento de materiais a fim de construir novos produtos, ou seja, transformam lixo em renda financeira e qualificação profissional.

Dentre os materiais utilizados, os que mais se aproveitam são sobras de lonas vinílicas, fundos de palco, banners e outdoors encontrados no lixo gerado por eventos e publicidade. A ideia veio da coordenadora, Adriana Meyer, que percebeu a quantidade de resíduos que eram descartados nestes locais.

A TemQuemQueira desempenha um duplo papel social, ao mesmo tempo que contribui com o meio ambiente ajuda os presidiários do Núcleo Prisional Ferreira Neto, em Niterói, a desenvolverem suas habilidades. Uma oficina é oferecida para a realização do trabalho.

No local são feitos diversos tipos de bolsas, sacolas, nécessaires, pastas, porta-documentos, carteiras. Todos os produtos podem ser visto pelo site da TemQuemQueira. As aulas acontecem dentro do presídio, no Centro do Rio.

Qualquer pessoa que fizer um evento pode entrar em contato com a instituição posteriormente, para que façam a recolha dos materiais que podem ser reaproveitados. Os produtos são confeccionados com muito cuidado e com acabamento perfeito afirma Adriana.

O trabalho realizado além de ocupar o tempo ocioso dos detentos é uma maneira de estimular a aprendizagem, afinal eles podem desenvolver este ofício após cumprirem suas respectivas penas.

Atualmente, as peças são vendidas em uma loja no metrô do Rio de janeiro e também são produzidas por encomenda. A ONG tem o apoio de diversas instituições como a Nestlé, Bradesco, Eletrobras, e muitas outras.