Detenção de suposto espião reativa escândalo da NSA

O escândalo em torno das atividades da NSA na Alemanha ganhou novas dimensões com a detenção de um agente alemão por suposta contra-espionagem

Berlim – O escândalo em torno das atividades da Agência Nacional de Segurança (NSA, na sigla em inglês) na Alemanha ganhou nesta sexta-feira uma nova dimensão após a detenção de um agente alemão por suposta contra-espionagem, já que aparentemente vazou para os EUA informação da comissão parlamentar criada para investigar esse assunto.

O suspeito, de 31 anos e membro dos serviços secretos alemães, estaria funcionando durante dois anos como agente duplo ao serviço da NSA americano, segundo informações tamém da revista “Der Spiegel” e do jornal “Süddeutsche Zeitung”.

A detenção foi realizada por ordem da Promotoria federal, que na mesma quinta-feira comunicou à comissão de segredos oficiais do Parlamento e a qual investiga o escândalo da espionagem em massa dos Estados Unidos.

Segundo a edição digital de “Der Spiegel”, o homem teria confessado que vendia seus serviços a Washington e recebia as instruções através da embaixada americana em Berlim.

Foi assegurado que o suposto agente duplo vazou 218 documentos internos alemães, incluindo três atas relacionadas com as pesquisas da comissão investigadora do Bundestag (Parlamento).

Em troca desses serviços, teria percebido 25.000 euros da espionagem americana, que lhe foram transferidos em um encontro na Áustria.

O “Süddeutsche Zeitung” indica que o suspeito tentou entrar em contato com os serviços secretos russos, embora se desconheça se também transferiu informação para eles.

As notícias divulgadas pelos citados meios de imprensa, assim como pela televisão pública “ARD”, não foram por enquanto confirmadas por nenhum estamento oficial.

Em um primeiro comunicado, a Promotoria federal informou na quinta-feira simplesmente da detenção de um homem por suspeitas de trabalhar para um serviço secreto estrangeiro, sem dar mais detalhes.

Além disso, o porta-voz do governo alemão, Steffen Seibert, recusou hoje dar mais dados a respeito, remetendo à breve nota da Promotoria e explicou que Merkel tinha sido informada do assunto na mesma quinta-feira.

O porta-voz não quis comentar se a chanceler tinha abordado a questão com o presidente americano, Barack Obama, na conversa que teve com ele em relação ao conflito da Ucrânia.

Além das poucas explicações da Promotoria e do porta-voz do governo, o caso do suposto agente duplo criou uma onda de reações de indignação por parte dos membros da comissão do Bundestag que investiga as atividades da NSA, exigindo o completo esclarecimento do assunto.

As atividades da NSA na Alemanha criaram tensões persistentes entre Berlim e Washington, sobretudo após se souber que a espionagem dos Estados Unidos promoveu escutas em um telefone de Merkel, questão que por sua vez acabou na abertura de um processo por parte do promotor federal, Harald Range.