Deslizamentos podem deixar ao menos 2,5 mil mortos

Cerca de 2.500 pessoas podem ter morrido por causa de vários deslizamentos de terra no Afeganistão

Cabul – Cerca de 2.500 pessoas podem ter morrido por causa de vários deslizamentos de terra na província afegã de Badakhshan, no nordeste do país, que deixaram perto de 300 casas enterradas, segundo o governador provincial, Shah Waliwallah Adib.

Em declarações ao canal de televisão afegão “Tolo News”, o governador disse que centenas de pessoas foram retiradas e que, por enquanto, apenas oito pessoas foram resgatadas do meio do barro e das rochas que soterraram as casas.

Waliwallah disse que o desastre aconteceu no distrito de Argo, onde um primeiro deslizamento soterrou uma cidade e outro posterior enterrou as equipes de resgate que estavam no local, com o que se teme que hajam cerca de 2.500 vítimas.

A fonte afirmou que os moradores de cerca de 700 casas foram avisados para evacuar a zona afetada, devido à instabilidade do terreno.

Um oficial de Polícia do distrito, Qari Sayfuddin, declarou que mais de 1.500 cabeças de gado também morreram nos deslizamentos de terra.

A cidade afetada fica entre dois montes na região de Aab Bareek, no mesmo distrito no qual outro deslizamento de terras produzido pela chuva causou na quinta-feira vários mortos e destruiu dezenas de casas.

As catástrofes naturais costumam ter repercussões graves no Afeganistão, devido ao precário estado das infraestruturas em um país com muitos dos indicadores de desenvolvimento mais baixos do mundo, e em guerra há décadas.

O arco oriental do Afeganistão é cortado pela cordilheira Hindukush, uma das mais elevadas do mundo, em uma região do planeta sensível a frequentes tremores de terra devido à confluência de grandes placas tectônicas.