Desabamento deixa ao menos 30 mortos em Gênova; fatalidades podem aumentar

Número é de balanço provisório divulgado pelo governo que cita 5 feridos em estado grave em acidente na cidade italiana de Gênova

Um trecho de um viaduto na rodovia A10 desabou nesta terça-feira (14) na cidade italiana de Gênova, deixando “dezenas de vítimas”, com pelo menos 30 mortos – informou o governo. O incidente aconteceu às 12 horas (7 da manhã, horário de Brasília)

De acordo com balanço provisório divulgado pelo governo, a tragédia teria deixado pelo menos 30 mortos, mas autoridades temem que esse número possa aumentar. “Infelizmente há uns 30 mortos e vários feridos em estado grave”, afirmou o ministro do Interior do país, Matteo Salvini, em declarações aos veículos de imprensa italianos.

“Acompanhamos a situação minuto a minuto. Agradeço aos 200 bombeiros que estão no trabalho para salvar vidas”, declarou o ministro. “Não é aceitável que uma ponte tão importante… não tenha sido construída para evitar esse tipo de desmoronamento”, disse o vice-ministro dos Transportes, Edoardo Rixi em entrevista à SkyNews24, “a parte central caiu”.

O diretor da Central de Emergências de Gênova, Francesco Bermano, disse que há várias pessoas estão sob os escombros da ponte Morandi, de cerca de 100 metros de altura.

Uma testemunha disse à Sky Italia que viu “oito ou nove” veículos em cima do viaduto no momento do desmoronamento, que descreveu como uma “cena apocalíptica”.

Fortes chuvas castigam toda área, o que dificulta o trabalho dos socorristas, que trabalham em meio às carcaças de carros e caminhões lançados no vazio. Abaixo, veja imagens que mostram o momento do colapso e o local após o incidente:

Segundo as autoridades, várias pessoas foram retiradas com vida, mas o número de sobreviventes ainda não foi divulgado. Todos os hospitais da região foram mobilizados para receber os feridos e os serviços de Meteorologia emitiram um alerta de tempestades na região.

Ponte Morandi

De acordo com o site ingegneri.info, essa ponte de 1.182 metros de extensão foi inaugurada em 1967 e restaurada em 2016. Foi construída entre 1963 e 1967, com uma estrutura mista, de concreto armado pré-fabricado e concreto armado comum.

A Polícia não descarta que se trate de uma falha estrutural da ponte e a circulação foi interrompida na área, assim como o transporte ferroviário.