Democratas pressionam Christopher Wylie, o delator da Cambridge

ÀS SETE - Os deputados se reúnem pelo 2º dia, a portas fechadas, com o ex-funcionário da empresa de análise, que revelou o escândalo do Facebook

Os democratas do Comitê de Inteligência da Câmara de Deputados dos Estados Unidos se reúnem nesta quarta-feira a portas fechadas para continuar uma série de entrevistas com Christopher Wylie, ex-funcionário da empresa de análise de dados Cambridge Analytica, que revelou que a empresa havia utilizado milhões de perfis na rede social Facebook para influenciar as eleições de 2016 em favor da campanha de Donald Trump. É o segundo dia de conversas de Wylie com os democratas, que ontem conversou com os congressistas do Comitê judiciário.

Às Sete – um guia rápido para começar seu dia

Leia também estas outras notícias da seção Às Sete e comece o dia bem informado:

Em sua chegada ao Capitólio na terça-feira, Wylie afirmou que responderia aos legisladores a “qualquer coisa que eles perguntem”. Com esperanças de entender o que aconteceu nas eleições de 2016, e traçar estratégias para o que vem por aí nas eleições de meio termo de 2018, democratas estão entrevistando uma série de testemunhas que não foram selecionadas pela investigação sobre a interferência russa nas eleições. Membros republicanos dos comitês foram convidados a participar das entrevistas, mas preferiram não comparecer.

As tensões entre democratas e republicanos no Congresso aumentaram no último mês, depois que o Comitê de Inteligência, liderado por republicanos, encerrou suas investigações próprias sobre a interferência da Rússia nas eleições. Democratas ficaram furiosos com a decisão, pois acreditam que o Comitê não convocou uma série de testemunhas que eles consideram essenciais ao processo.  Outros comitês do Congresso se recusaram a analisar a questão e afirmam que essa é uma investigação que cabe ao conselheiro especial do FBI, Robert Mueller.

Mas as conversas iniciais com Wylie já deixaram preocupação para o partido de Donald Trump. Em um comunicado conjunto após a entrevista com Wylie na terça-feira os legisladores afirmaram que é preciso “fazer mais para entender como atores estrangeiros coletam e usam nossos dados contra nós, e que impacto as mídias sociais têm no processo democrático”. Muitos deputados democratas declararam que as resposta de Wylie ao interrogatório eram “muito perturbadoras”.