Delegada boliviana afirma que acusação está mantida

A delegada boliviana Abigail Saba afirmou que que o surgimento do jovem de 17 anos, que está no Brasil, "não tem ingerência alguma, nem vai mudar, de forma alguma, a decisão do juiz cautelar"

La Paz – A delegada boliviana Abigail Saba afirmou nesta terça-feira que mantém a acusação contra os torcedores corintianos detidos em Oruro, e que nada muda com a confissão de um menor pelo disparo do sinalizador que acabou provocando a morte de um adolescente em jogo da Taça Libertadores.

Saba explicou à rádio “Erbol”, que o surgimento do jovem de 17 anos, que está no Brasil, “não tem ingerência alguma, nem vai mudar, de forma alguma, a decisão do juiz cautelar”.

“O Ministério Público vai continuar com as investigações. Não influi em nada, qualquer investigação que esteja sendo feita em outro país, levando-se em conta que o fato aconteceu em Oruro”, comentou.

Na sexta-feira, os 12 torcedores do Corinthians presos tiveram prisão preventiva decretada pelo juiz de medidas cautelares Julio Guarachi, sob as acusações de responsabilidade ou cumplicidade na morte de Kevin Douglas Beltrán Espada, de 14 anos, durante a partida entre San José e Corinthians, pela Taça Libertadores.

Abigail Saba afirmou hoje, que não tem conhecimento oficial da apresentação de um jovem, de 17 anos, junto à justiça brasileira, e que ele admitiu ter disparado o sinalizador, acidentalmente. A fiscal complementou dizendo que o suposto culpado “precisa vir à Bolívia”, para se tornar uma parte da investigação.

O ministro de Governo boliviano, Carlos Romero, expressou nesta terça-feira sua surpresa pela aparição do adolescente, sobretudo por se tratar de alguém que não pode responder juridicamente. “Me atenho inicialmente ao relatório da polícia, e de acordo com esse relatório, dos 12 suspeitos identificados, dois foram apontados como supostos autores”, disse o titular da pasta.