Decisão de Trump abre “os portões do inferno”, diz Hamas

Um dos líderes do Hamas pediu aos países árabes e muçulmanos que "reduzam os laços econômicos e políticos" com as embaixadas dos EUA

O movimento islamita palestino Hamas afirmou nesta quarta-feira que a decisão do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de reconhecer Jerusalém como a capital de Israel abre “os portões do inferno para os interesses americanos na região”.

Ismail Radwan, um dos líderes do Hamas, falando a repórteres na Faixa de Gaza, pediu aos países árabes e muçulmanos que “reduzam os laços econômicos e políticos” com as embaixadas dos Estados Unidos e expulsem os embaixadores americanos.