Decisão de tirar tropas da Síria põe republicanos contra Trump

Nesta quinta-feira, vários congressistas subiram o tom das críticas contra o presidente; o mais irritado era o deputado John Shimkus

São Paulo — A decisão de retirar as tropas do norte da Síria ameaça causar uma divisão dentro do Partido Republicano no momento em que o presidente Donald Trump mais precisa de aliados para conter o avanço do processo de impeachment instaurado no Congresso pelos democratas.

Veja também

Nesta quinta-feira, 10, vários congressistas subiram o tom das críticas contra o presidente. O mais irritado era o deputado John Shimkus. Em entrevista a uma rádio de St. Louis, ele anunciou que rompeu completamente com Trump. “Estou chateado. Telefonei para o chefe de gabinete e pedi para retirar meu nome da lista de apoio de Trump”, disse Shimkus. “Nós acabamos de dar uma facada nas costas de um aliado (os curdos).”

Na CNN, o deputado republicano Adam Kinzinger disse que a retirada das tropas americanas deteriora a segurança dos EUA. De acordo com líderes e estrategistas, porém, muitos congressistas se sentem mais confortáveis em criticar o presidente, neste caso, porque o assunto parece distante demais do eleitor comum. “Síria, curdos e Turquia, a complexidade do caso está além da capacidade de entendimento das pessoas”, afirmou Pat McCrory, ex-governador republicano da Carolina do Norte.