Curso de habilitação na Finlândia dura dois anos e inclui drift

O clima adverso do país é o principal motivo para o curso de direção ser tão rigoroso

Aulas teóricas e práticas, simulador e aulas de baliza não são suficientes para formar um bom motorista.

Pelo menos para os padrões da Finlândia, onde a formação do futuro motorista dura mais de dois anos e inclui simulador de condução a noite e lições de drift.

Não é uma questão de burocracia.

Além do frio (a média anual da capital, Helsinque, é de 5°C), da neve e do dia de apenas 6 horas durante o inverno, os finlandeses precisam estar preparados para desviar de alces a qualquer momento – característica da escandinávia que acabou batizando um famoso teste de segurança na Suécia.

Para os jovens, o processo de habilitação começa antes dos 18 anos e só termina com um teste de habilidades definitivo, após dois anos dirigindo com carta de motorista temporária.

O processo começa com 19 aulas teóricas sobre o funcionamento de um carro e regras de condução segura.

Em seguida, o aspirante a condutor precisará fazer, no mínimo, 17 horas de aulas práticas – que deverão acontecer em ruas, estradas e em pistas escorregadias.

Estas pistas escorregadias são verdadeiras pistas de drift: recebem material sintético menos aderente e lâmina de água, enquanto os carros são calçados com pneus de verão. 

A ideia das aulas é ensinar o futuro motorista a controlar o carro em situações de pouca aderência. Também há lições sobre o que fazer ao rodar com o carro na pista.

O aluno ainda precisará usar simulador de condução noturna. É uma forma para treinar os reflexos para quando um alce aparecer na pista.

Simulador de condução noturna também é utilizado pelos alunos (Reprodução/Youtube)

Simulador de condução noturna também é utilizado pelos alunos (Reprodução/Youtube) (Reprodução/)

Após tudo isso, o aluno faz o primeiro teste: dirige o carro por meia hora e o estaciona em vaga paralela. Se aprovado, recebe uma habilitação provisória com validade de dois anos.

O mais curioso é que os carros das auto-escolas podem ser personalizados com adesivos de gosto duvidoso, rodas esportivas e suspensão rebaixada.

O governo finlandês obriga apenas que o câmbio seja manual.

A auto-escola finlandesa Epic tem um Up! da Hello Kitty (Reprodução)

A auto-escola finlandesa Epic tem um Up! da Hello Kitty (Reprodução) (Reprodução/)

O motorista ainda precisará retornar à auto-escola meses depois para uma segunda avaliação do instrutor e uma aula em grupo com outros dois motoristas.

Pensa que acabou? Quando o documento provisório está prestes a caducar, o aspirante passa pelo teste que lhe garante a habilitação definitiva.

Ele retorna à pista de drift com seu próprio carro calçado com pneus de verão e precisa ter as reações corretas ao perder o controle em curvas.

Se por um lado o processo é longo e complicado, por outro forma motoristas preparados para reagir de forma correta em qualquer situação – principalmente as que envolvem pouca aderência.

Não à toa, a Finlândia é proporcionalmente o maior berço de talentos do automobilismo, alinhando nomes como Keke Rosberg, Kimi Räikkönen, Mika Häkkinen, Ari Vatanen, Marcus Grönholm, Tommi Makinen e Henri Toivonen, tudo isso em um país com menos de 6 milhões de habitantes.

Este conteúdo foi publicado originalmente no site da Quatro Rodas.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Flávio Peixe

    País sério é outra coisa , 2 anos para receber sua habilitação mas com uma estrutura e responsabilidade enorme com todos. Aqui no Brasil, no interior de São Paulo dei entrada na minha adição de categoria é estou aguardando a mais de três anos e meio para receber a minha habilitação.e isso que além de ter pago mais de 1000 reais para uma adição de categoria o Detran não tem nenhuma estrutura e nem competência. Lamentável

    1. Criei uma conta só para deixar o meu comentário. Quando li este artigo fiquei pasma. Sério! Eu moro na Finlândia há quase 10 anos. A Finlândia é o país com o PIOR número de motoristas por metro quadrado! O povo aqui tem acidente sozinhos em estradas retas e sem chuva ou neve! Acreditem que este artigo é “bullshit”. Primeiro que nem é tão difícil assim, segundo que o drift nem é essa coisa complicada que eles falam e terceiro que é EXAGERO que o curso dura dois anos. Tirar a carteira no Brasil é muito mais complicado e exigente. Os meus sobrinhos acabaram de tirar a carteira e durou cerca de 6 meses no máximo. Aqui qualquer pessoa com habilitac,ão pode ensinar outra pessoa. O pai do meu marido Mikko Väänänen deu aulas a ele e a mãe dele deu aulas à irmã dele. O meu cunhado ensinou o meu sobrinho. Você precisa apenas ter as aulas teóricas e algumas horas de aula prática mandatórias com a autoescola. Aí você vai e faz o teste. Se passar, você recebe uma carteira temporária (sim é verdade), mas as aulas acabam aí. Depois de algum tempo, você volta na escola e senta lá e escuta o instrutor falar sobre como economizar gasolina, etc. No mesmo dia, você dirige com ele para mostrar que você aprendeu a lic,ão de “ecologia”. O Mikko Väänänen ficou surpreso com o rítimo de Uberaba, MG (onde nasci). Imagina nas grandes cidades, com engarrafamentos, motos e motoristas que nâo respeitam os outros! Aí sim, os motoristas têm que ser ágeis e bons de voltante. Aqui o tráfico é muito lento e até chateia porque eles não deixam o trânsito fluir. Eu moro perto da Lapônia, onde tem muito mais gelo e neve que na capital Helsinque. Ô mania do brasileiro de pensar que tudo que é “de fora” é melhor!